Tecnologia & Ciencia – Urandir – Just True News

<div class="media_box full-dimensions660x360">

<div class="edges">
<img class="croppable" src="https://img.r7.com/images/o-macaco-dourado-de-nariz-arrebitado-a-esquerda-e-a-cabra-gnu-ou-takin-a-direita-25022020073252909?dimensions=660×360" title="O macaco-dourado de nariz arrebitado (à esquerda) e a cabra gnu, ou Takin (à direita), estão na lista" alt="O macaco-dourado de nariz arrebitado (à esquerda) e a cabra gnu, ou Takin (à direita), estão na lista" />
<div class="gallery_link">
</div>

</div>
<div class="content_image">
<span class="legend_box ">O macaco-dourado de nariz arrebitado (à esquerda) e a cabra gnu, ou Takin (à direita), estão na lista</span>
<span class="credit_box ">BBC NEWS BRASIL</span>
</div>
</div>

<p>
<strong>Já ouviu falar da cabra gnu, do macaco de orelhas vermelhas ou do monstro de Gila?</strong></p>
<p>
Eles podem ser os futuros ícones da conservação ambiental, de acordo com um estudo.</p>
<p>
Os cientistas acreditam que estes animais pouco conhecidos são fundamentais para arrecadar dinheiro para proteger ecossistemas vulneráveis.</p>
<p>
As imagens de tigres e elefantes, que têm grande apelo junto ao público, são frequentemente selecionadas para campanhas de arrecadação de fundos.</p>
<p>
Mas essa abordagem tem sido criticada por negligenciar muitas outras espécies que precisam da nossa ajuda.</p>
<p>
"É hora de colocarmos alguma ciência por trás das espécies que usamos para comercializar e arrecadar fundos para conservação — em vez de limitar nossa abordagem em torno do que é popular ou visto como ‘fofo’ pelo público", argumenta Hugh Possingham, cientista chefe da ONG The Nature Conservancy.</p>
<p>
 </p>

<div class="media_box full-dimensions660x360">

<div class="edges">
<img class="croppable" src="https://img.r7.com/images/filhote-de-urso-andino-em-zoologico-na-alemanha-25022020073253057?dimensions=660×360" title="O urso andino, fotografado em um zoológico na Alemanha, é o único urso nativo da América do Sul" alt="O urso andino, fotografado em um zoológico na Alemanha, é o único urso nativo da América do Sul" />
<div class="gallery_link">
</div>

</div>
<div class="content_image">
<span class="legend_box ">O urso andino, fotografado em um zoológico na Alemanha, é o único urso nativo da América do Sul</span>
<span class="credit_box ">BBC NEWS BRASIL</span>
</div>
</div>

<p>
Para testar se uma abordagem mais científica poderia trazer benefícios mais abrangentes para ecossistemas vulneráveis, os pesquisadores compilaram dados sobre áreas protegidas, impacto humano e variedade de espécies.</p>
<p>
Eles identificaram lugares prioritários para conservação no mundo e "espécies emblemáticas" que seriam adequadas para angariar fundos para eles.</p>
<p>
"Não podemos nos dar ao luxo de desperdiçar um único dólar em conservação", diz Jennifer McGowan, da Universidade Macquarie, na Austrália.</p>
<p>
"Dada a situação da crise da biodiversidade, precisamos ser estratégicos, eficazes e eficientes no trabalho de conservação que fazemos."</p>
<p>
As "espécies emblemáticas" são uma boa maneira de "tocar corações e mentes", acrescenta ela, citando imagens dos recentes incêndios na Austrália que mostram coalas feridos.</p>
<p>
"Milhões de dólares foram arrecadados — porque ninguém é capaz de olhar para essas fotos e não ficar com o coração partido".</p>
<p>
 </p>

<div class="media_box full-dimensions660x360">

<div class="edges">
<img class="croppable" src="https://img.r7.com/images/serpentario-desfila-em-meio-ao-capim-alto-do-deserto-de-kalahari-na-africa-25022020073253221?dimensions=660×360" title="Serpentário desfila em meio ao capim alto do deserto de Kalahari, na África" alt="Serpentário desfila em meio ao capim alto do deserto de Kalahari, na África" />
<div class="gallery_link">
</div>

</div>
<div class="content_image">
<span class="legend_box ">Serpentário desfila em meio ao capim alto do deserto de Kalahari, na África</span>
<span class="credit_box ">GETTY IMAGES/BBC NEWS BRASIL</span>
</div>
</div>

<p>
O estudo, publicado na revista científica Nature Communications, compilou uma lista de centenas de mamíferos, aves e répteis que podem atuar como novas "espécies emblemáticas". Eles são carismáticos por si só, mas muitas vezes são deixados de lado em prol de alternativas mais icônicas.</p>
<p>
Entre os animais da lista, estão:</p>
<p>
- O urso-de-óculos, também conhecido como urso-andino, que habita as florestas montanhosas dos Andes, na América do Sul;</p>
<p>
- A fossa, felino carnívoro encontrado em Madagascar;</p>
<p>
- O calau-rinoceronte, pássaro do sudeste asiático;</p>
<p>
- O secretário, ou serpentário, ave que vive nas savanas da África Oriental;</p>
<p>
- O monstro de Gila, encontrado nos desertos do México e dos EUA.</p>
<p>
 </p>

<div class="media_box full-dimensions660x360">

<div class="edges">
<img class="croppable" src="https://img.r7.com/images/monstro-de-gila-no-sul-do-arizona-25022020073253603?dimensions=660×360" title="Monstro de Gila fotografado no sul do Arizona, nos EUA" alt="Monstro de Gila fotografado no sul do Arizona, nos EUA" />
<div class="gallery_link">
</div>

</div>
<div class="content_image">
<span class="legend_box ">Monstro de Gila fotografado no sul do Arizona, nos EUA</span>
<span class="credit_box ">GETTY IMAGES/BBC NEWS BRASIL</span>
</div>
</div>

<p>
O ano de 2020 é considerado crítico para a natureza e vai culminar com um encontro em Kunming, na China, em outubro, para definir uma nova estrutura global para a biodiversidade.</p>
<p>
Nesta semana, representantes dos países da Convenção sobre a Diversidade Biológica (CDB) fazem sua primeira reunião em Roma, na Itália, para elaborar o tratado internacional, no estilo do "Acordo de Paris", que deve ser assinado em outubro.</p>
<p>
No ano passado, um painel intergovernamental de cientistas afirmou que um milhão de espécies animais e vegetais estão ameaçadas de extinção.</p>
<p>
Estimativas recentes sugerem que o orçamento anual necessário para atender às metas globais de biodiversidade é de pelo menos US$ 100 bilhões por ano.</p>

Tecnologia – Urandir – Just True News
fontes: Urandir News & Record Tecnologia www.r7.com