Tecnologia & Ciencia – Urandir – Just True News

<div class="media_box full-dimensions660x360">

<div class="edges">
<img class="croppable" src="https://img.r7.com/images/imagem-divulgacao-acervo-limelocker-23032020175437982?dimensions=660×360" title="Imagem: Divulgação (Acervo LimeLocker)" alt="Imagem: Divulgação (Acervo LimeLocker)" />
<div class="gallery_link">
</div>

</div>
<div class="content_image">
<span class="legend_box ">Imagem: Divulgação (Acervo LimeLocker)</span>
<span class="credit_box ">Programa Inova 360</span>
</div>
</div>

<p>Para combater a propagação do novo coronavírus, causador da covid-19, os serviços de “entregas sem contato físico”, ou <em>contactless delivery, </em>como são chamados em inglês, vêm ganhando força no mundo e no Brasil. Várias empresas estão adotando a medida para evitar o contato entre entregadores e consumidores e frear possíveis formas de contágio. É o caso da iFood, Postmates, Instacart, Deliveroo, Glovo, além das empresas chinesas.</p>
<p>O segmento de armários eletrônicos acionados por aplicativos, ou <em>lockers</em>, como são chamados em inglês, já atua com o conceito de entregas sem contato físico há tempos. Com a pandemia do novo coronavírus, empresas chinesas usaram <em>lockers</em>, inclusive para entregas em hospitais, recentemente. A China é hoje o maior mercado mundial de <em>lockers</em>.</p>
<p>Nesse tipo de serviço, o entregador e quem fez a encomenda nunca se encontram. Após a entrega, quem solicitou o serviço recebe uma notificação pelo aplicativo, de que já pode retirar a encomenda, e em que armário está. Os compartimentos são abertos com senhas ou com um QR code enviado para o celular.</p>
<p><div class="media_box full-dimensions660x360">

<div class="edges">
<img class="croppable" src="https://img.r7.com/images/imagem-divulgacao-23032020175438131?dimensions=660×360" title="Imagem: Divulgação" alt="Imagem: Divulgação" />
<div class="gallery_link">
</div>

</div>
<div class="content_image">
<span class="legend_box ">Imagem: Divulgação</span>
<span class="credit_box ">Programa Inova 360</span>
</div>
</div>

</p>
<p>A startup <a href="https://www.limelocker.com.br/" target="_blank">LimeLocker</a>, líder nesse tipo de serviço no Brasil, prevê aumento no uso dos armários eletrônicos, diante da pandemia de coronavírus. A demanda pelos serviços delivery só aumenta com o isolamento social utilizado como principal forma de prevenir o crescimento exponencial do contágio.</p>
<p>“É uma forma de assegurar a proteção da saúde que quem lida com serviços de entregas e também dos usuários.  Esperamos um crescimento de no mínimo 50% no uso dos serviços nos próximos meses”, afirma Geraldo Yoshizawa, CEO da empresa, que tem parceria com o iFood.</p>
<p>Para usar o serviço, o usuário precisa ter acesso a um dos armários eletrônicos da LimeLocker, instalados em pontos estratégicos das cidades de São Paulo, Porto Alegre, Florianópolis, Curitiba e Campinas. Depois é só instalar o app da empresa para contratar o serviço, pagar e aguardar a entrega.</p>
<p>Em todo o Brasil há mais de 300 armários eletrônicos da marca e, em São Paulo, estão instalados em condomínios residenciais e comerciais em bairros como Itaim, Vila Olímpia e Brooklin.</p>
<p>Os principais serviços oferecidos são entrega de comida, farmácia e lavanderia. No caso do serviço de lavanderia, acionado pelo app, por exemplo, o usuário pode deixar a roupa suja no <em>locker e</em> a recebe limpa. Mas o serviço permite ainda receber entregas e encomendas de diversos tipos. “Fazemos serviços como costura, sapataria, cartório, chaveiro, manutenção e consertos de celular”, conta o empresário</p>
<p>No Brasil, a solução já vinha apresentando boa aceitação por oferecer comodidade e segurança contra golpes de falsos entregadores, segundo Yoshizawa. “Em nenhum momento há qualquer tipo de contato entre o entregador e usuário e, além da saúde, o armário eletrônico também aumenta a segurança física”, afirma.</p>
<p><strong><em>Confira mais informações no vídeo<br></em></strong></p>
<p></p>
<p> </p>
<p> </p>

Tecnologia – Urandir – Just True News
fontes: Urandir News & Record Tecnologia www.r7.com