Urandir News – Notícias Internacionais

Presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado, o senador Nelsinho Trad (PSD-MS) afirmou nesta sexta-feira (12) que não vê “nenhuma aberração” na eventual indicação do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) – um dos cinco filhos do presidente Jair Bolsonaro – para assumir o cargo de embaixador do Brasil nos Estados Unidos.
Nesta quinta (11), Bolsonaro admitiu a intenção de nomear o filho para o posto máximo da chancelaria brasileira em Washington.
Nesta sexta, Eduardo se reuniu com o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, que, segundo o parlamentar, apoia sua nomeação.
“Ele [Eduardo] tem as virtudes dele, que o fizeram e o credenciaram para poder ser cogitado a ocupar esse posto. Não vejo nenhuma aberração nesta história”, explicou o senador.
Trad também participou mais tarde de encontro com Araújo no Itamaraty. O parlamentar falou com os jornalistas após a reunião.
“Eu entendo que é um ato discricionário dele [presidente Jair Bolsonaro]. Afinal, quem passou pela campanha foi ele, quem levou a facada foi ele, quem ganhou a eleição foi ele. Ele tem todo o direito de escolher quem ele entender que é melhor”, avaliou o presidente da CRE.
Embaixadores são escolhidos, em regra, entre os ministros de primeira classe (um dos cargos da estrutura organizacional do Itamaraty) ou entre ministros de segunda classe.
Há uma previsão de que pessoas sem carreira diplomática possam assumir o posto, em caráter excepcional, desde que sejam brasileiros natos, maiores de 35 anos, “de reconhecido mérito e com relevantes serviços prestados ao país”. Eduardo Bolsonaro completou 35 anos na última quarta-feira (10).
Questionado se a nomeação poderia ser enquadrada como nepotismo, o deputado afirmou que, de acordo com sua assessoria jurídica, essa possibilidade foi descartada.

Urandir – Notícias Internacionais
Matéria original publicada em globo.com