Urandir News – Notícias Internacionais

Investigado por fazer piada sobre Jesus, comediante deixa a Rússia  Just True Urandir Pesquisa Ciencia Ufologia Tecnologia  e74d alexander dolgopolov   urandir   MUNDO   Investigado por fazer piada sobre Jesus, comediante deixa a Rússia
Alexander Dolgopolov também citou Vladimir Putin em sua apresentação de stand-up; na Rússia é ilegal ‘insultar os sentimentos de religiosos e ofender as autoridades online’. Alexander Dolgopolov durante apresentação em que fez piada sobre Jesus
Reprodução/YouTube
Um comediante popular deixou a Rússia temporariamente por motivos de segurança, depois que a polícia abriu uma investigação sobre uma de suas performances, na qual ele fez piadas sobre Jesus e a Igreja Ortodoxa, disse seu advogado na quinta-feira (23).
Supremo libera exibição do especial de Natal do Porta dos Fundos
O comediante Alexander Dolgopolov postou esta semana uma foto de um aviso do Ministério do Interior enviado à casa de shows HopHead Tap Room, de São Petersburgo, onde ele se apresentou em fevereiro do ano passado, solicitando ao estabelecimento que fornecesse informações sobre ele.
Nessa performance, que recebeu quase 2,8 milhões de visualizações no YouTube em nove meses, Dolgopolov fez piadas sobre a Virgem Maria e Jesus e ridicularizou sua própria fé quando criança.
Na apresentação, ele também fez uma piada sobre o presidente russo, Vladimir Putin. “Nosso povo está dividido em dois. De um lado, há os que apoiam Putin, e de outro, os que sabem ler, escrever e chegar a conclusões lógicas”, brincou Dolgopolov.
Leonid Solovyov, advogado de Dolgopolov, disse à Reuters que a investigação policial sobre seu cliente estava ligada a uma denúncia de que suas piadas haviam ofendido crenças religiosas.
“Ele decidiu deixar a Rússia por razões de segurança”, afirmou Solovyov, acrescentando que a situação é temporária. A localização de Dolgopolov não foi revelada.
A Rússia adotou leis que tornam ilegal insultar os sentimentos de religiosos e ofender as autoridades online. Os críticos dizem que elas são usadas ​​para abafar a dissidência e reduzir a liberdade de expressão no país, onde o ateísmo era a norma durante a era soviética.

Urandir – Notícias Internacionais
Matéria original publicada em globo.com